Ciência das cores

Ciência dos Computadores, Destaques, Informática em Março 14, 2010 Sem comentários

Nos primeiros anos de escola aprendemos que existem 3 cores primárias – vermelho, amarelo e azul – que quando combinadas produzem as cores secundárias, como o verde, o roxo e cor-de-laranja, entre tantas outras resultantes da combinação de diferentes proporções das cores primárias e secundárias. De seguida, vamos conhecer um pouco melhor a ciência das cores.

Contudo, apesar destas serem as cores primárias no que à pigmentação diz respeito, o mesmo não se passa no que se refere aos monitores dos computadores, televisões, impressoras ou fotografias.

As cores nunca seriam possíveis sem a luz, pois as cores são na sua essência a reflexão da luz nos objectos à nossa volta. Quando se faz passar uma luz por um prisma, o raio da luz muda de direcção, sendo decomposto em várias cores, conforme os comprimentos de onda, produzindo-se assim as cores do espectro electromagnético. Isto acontece devido a um fenómeno a que se dá o nome de refracção. Por exemplo, o arco-íris resulta da refracção da luz através das partículas da água da chuva.

Os humanos apenas conseguem ter percepção de uma pequena parte do espectro electromagnético – de 4.3-7.5 x 1014 Hz (frequência) – sendo o comprimento de onda de cada radiação que determina a cor da luz que estamos a ver. Cada cor tem o seu próprio comprimento de onda. Os infravermelhos, micro-ondas, rádio, televisão e a electricidade têm uma frequência abaixo daquela que conseguimos ver. Os raios-X, ultravioletas e gamma têm frequência acima das que são perceptíveis ao olho humano.

Ao contrário das cores primárias da pigmentação, as cores primárias da luz são o vermelho, o verde (e não o amarelo) e o azul, normalmente designadas RGB (Red, Green, Blue). O sistema de cores no que diz respeito à pigmentação, não se aplica aos monitores dos computadores e às televisões, porque nestes casos as cores são criadas através da adição de luz. RGB é um sistema de adição de cores, em que as cores são adicionadas a um fundo preto. O preto é a ausência de luz, e consequentemente, a ausência de cor. Cores secundárias, tais como o azul claro (cyen), magenta e o amarelo, são obtidas através da combinação das cores primárias. A cor branca é o resultado da adição das três cores primárias em iguais proporções.

Existe no entanto, um terceiro sistema de cores denominado de subtractivo, designado CMYK. As cores primárias do sistema subtractivo são o cyan (C), magenta (M) e o amarelo (Y – Yellow), ou seja, as cores secundárias do sistema RGB. A letra “K” em CMYK, designa o preto (blaK). O processo de subtracção de cores baseia-se na reflexão da luz num objecto, na medida em que ao passar pelos seus pigmentos, algumas cores (comprimentos de onda) são absorvidas, enquanto que outras são reflectidas. Ao contrário do sistema aditivo (RGB) que começa com o preto, ao qual é adicionado cor, o sistema subtractivo (CMYK) começa no branco, ao qual se subtrai cor. Este último sistema, é muito utilizado nos sistemas de impressão, pois, são utilizadas folhas brancas que reflectem a cor branca (RGB). Para reproduzir a cor no papel, são utilizados pigmentos transparentes (azul claro (cyan), magenta e amarelo (yellow)) para filtrar os comprimentos de onda RGB, utilizando várias combinações. Em teoria, a combinação destas três cores deveria produzir preto, mas a quarta cor do sistema CMYK, o preto, é necessário para produzir o verdadeiro preto. As cores secundárias do sistema subtractivo são o vermelho, verde e azul, que são as cores primárias do sistema aditivo.

Tags:

Sem comentários para “Ciência das cores”

Deixe um comentário